​​
Recentemente o Google modificou seu algoritmo de pesquisa afim de favorecer sites adaptados para dispositivos móveis.

Este movimento é muito fácil de compreender, já que hoje no mundo inteiro mais de 70% de todos os acessos à internet (www) é via dispositivos móveis.

É indiscutível a supremacia de Google como mecanismo de busca, e isto acaba gerando tendências como a adoção de sites adaptados para dispositivos móveis (layout/design responsivo).

Esta tendência é real e crescente, pois a utilização de dispositivos móveis em nosso dia a dia já é uma realidade cotidiana, mesmo que o Google não seja seu usual mecanismo de busca.

Desta forma um site público, um portal interno (intranet e/ou site departamental) ou qualquer aplicação para web foi, é ou será acessada via dispositivo móvel.

Você está preparado para isto?

Aplicações responsivas são de carregamento mais fácil e rápido, entregam informações em qualquer dispositivo, são mais intuitivas e com trilhas de buscas mais curtas.

Quer dizer que se meu site/aplicação é responsivo 
meu mundo é azul? Sim e não.

Sim porque você já está entregando seu conteúdo para mais pessoas em diversos tipos de dispositivos (smartphones, tablets, PCs, etc.) = gerando uma tendência de aumento no número de acessos

Não porque o responsivo não veio salvar o mundo, ele veio para facilitar o acesso a um mundo móvel = não adianta entregar seu conteúdo em diversos dispositivos se o conteúdo não estiver estruturado

E agora? Quer acertar na mosca?

​​Junte responsividade com arquitetura de informação

Seu fornecedor está preparado para falar sobre este tema? ​Espero que sim!​

Valéria Rotilio - Novos Negócios na Mult-Connect​